terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Das coisas loucas 2

Olá, leitores, este artigo tem o número 2 porque já comentei em um outro algumas  loucuras, como :
- faltar mais um dia ou até dois após a doença para conseguir uma licença (aliás, colegas, a regra acaba de mudar, felizmente);
- deixar 20 pessoas esperando por uma hora com seus respectivos instrumentos musicais e depois ignorá-las;
- responder ao que disse um animal, sem achar estranho (esta é a história de Balaão).
Hoje não posso deixar de acrescentar à lista um evento que se repete nesta época. Equipes se formam, buscam um local aprazível, convenientemente afastado da cidade, as pessoas economizam, programam-se e participam, nenhum membro da comunidade que preze sua vida espiritual deve deixar de estar lá - é o retiro de verão. A programação é examinada com cuidado e chega-se no momento de imaginar como será a festa (porque finalmente é um acampamento dos jovens). Neste ano houve até um concurso para escolher o tema. Algumas sugestões foram de pronto afastadas: "Festa das fantasias", "Festa das máscaras" e outros assim.( Estes não foram os temas escolhidos neste ano na minha igreja, mas constaram na lista examinada). Ora, se você vai para uma chácara fugir da influência das festas mundanas, estes temas contradizem o que se pretende. Ora, um retiro deve procurar afastar-se dessas tradições mundanas, vamos buscar a Deus num tempo em que o mundo busca os prazeres. Vamos buscar a saúde do corpo e da mente, longe dessas festas loucas que se alongam pelas noites. Este é o espírito do acampamento de verão. Por isso, esses temas imaginados por alguns foram logo deixados de lado.
Mas qual foi o tema escolhido? Foi "Festa do cabelo louco". Estranharam? Eu também. Porém pensei: deve haver algo por trás dessa escolha. Quando os participantes da festa contemplarem as tranças habilmente tecidas, as perucas, talvez no modelo egípcio, que aqueles carecas ou homens de cabelos raspados de mais idade (e que  reclamaram do tema) devem usar, os cabelos domados a gel nos mais variados modelos dos mais jovens, as cores inovadoras de outras cabeleiras, ... de que lembrarão, agradecendo por estarem no acampamento? É claro que lembrarão  da meditação escolhida, retirada de I Coríntios 1:25:
"Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens."
E refletirão sobre a grandeza da sabedoria divina ante os pensamentos humanos. 


Pós-escrito: Não estarei na Festa do Cabelo Louco, e não vou então participar das reflexões sobre a sabedoria divina e as loucuras humanas,  porque vou mais uma vez visitar o Alessandro, mas estive no acampamento no sábado e fiquei muito feliz porque participei da adoração e do louvor (muito lindo) com todos os acampantes, incluindo alguns visitantes de outras igrejas evangélicas que tocaram junto conosco na orquestra. Apreciei também os foguetes que anunciavam os momentos de oração. Muito louco (no bom sentido)! Por um minuto de duas em duas horas as pessoas paravam para falar com Deus. O JA foi um dos melhores que já vi nos últimos tempos, em acampamentos. Foi um culto emocionante e jovem ao mesmo tempo, com muitos depoimentos interessantes. Continuem curtindo, que vou viajar um pouco. 


Veja também:

Das coisas loucas

2 comentários:

  1. Oi, eu não alcancei bem como os "cabelos loucos" podem interpetar o versículo de I Coríntios 1:25. Mas pelo q vc disse, a intenção foi espiritual. Enmtão, a licao q eu tiro é que mesmo a loucura e fraqueza dos homens é transformada em sabedoria por Deus. Que todos tenham crescido espiritualmente, com ou sem peruca.

    ResponderExcluir
  2. Apreciei sinceramente seu comentário.
    É a lição que também consegui alcançar com o tema proposto para a festa. A sabedoria de Deus
    é infinita ante as loucuras humanas. E você acrescentou sabiamente: e essa imensa sabedoria pode até transformá-las - a essas loucuras - em sabedoria.
    Grata pela reflexão.
    Celina

    ResponderExcluir