domingo, 26 de setembro de 2010

Na montanha do lobo - o evento

Como disse ontem à tarde, respondendo ao comentário da Cida, resolvemos estar presentes à vigília jovem, no topo da montanha do lobo.


Nos encontramos com a igreja às 4h30 da tarde, houve um ônibus que levou os desbravadores e mais algumas pessoas; vários irmãos, inclusive nós, fomos de carro. Levei o teclado com pilhas, meu esposo levou um cajon, que é uma espécie de caixa acústica percussiva e alguns outros pequenos instrumentos de percussão. Um caminhão levou algumas cadeiras de plástico.


Quando chegamos ao final da estrada pavimentada e subimos uma pequena ladeira de terra, vimos que ali era o fim da linha – para os carros. Ainda havia sol e pudemos olhar para a trilha, da qual não víamos o final, dirigindo-se para as montanhas da região. A paisagem da região é o cerrado do DF, que está sofrendo com uma grande seca. Há frequentes queimadas, como dá para perceber na foto.

Uma nota interessante é que havia uma criação de avestruzes bem próximo ao “estacionamento”.


Um colega instrumentista, flautista, da equipe que toca comigo, quando nos toca dirigir o instrumental num dos cultos, como no domingo à noite ou na Escola Sabatina, carregou voluntariamente meu teclado, e o próprio pastor foi recrutado para carregar o pedestal. Assim, o pastor subiu ao monte com a Arma da Palavra numa das mãos e o pedestal do teclado na outra. Outros instrumentistas já esperavam e subimos todos junto com a igreja. Aliás, havia muitas pessoas, perto de oitenta.


Houve inicialmente um culto de por-de-sol para agradecer o sábado e a semana que passara e pedir as bênçãos para a vigília e para a nova semana.


Em seguida, chegou nosso maestro Samuel e passou a dirigir essa parte da reunião com hinos de louvor. Uma das canções que cantamos é uma das minhas prediletas das coletâneas jovens: “Deus é o maestro do céu e do mar, dEle é a glória e todo louvor. Com alegria, prazer vou cantar. Cantai a Deus com amor!” Já aí tinha sido ligada uma fogueira que iluminava e aquecia, pois havia um vento agradável, que mais tarde se tornou frio. Evidentemente os que são desbravadores (espécie de escoteiros da nossa igreja) sabem para que se usa também a fogueira - para afastar os animais que possam ser perigosos.


Dois pastores falaram na parte mais importante da vigília, o estudo da Palavra de Deus.


Interessante que os dois falaram sobre o mesmo assunto e creio que não combinaram isso, pois chegaram em momentos diferentes. O primeiro (pastor Fernando, que dirige a música e os jovens da Associação Planalto Central) disse que antes de chegar à estrada que levava ao local onde estávamos tinha parado numa tenda à beira da estrada e lá se encontravam algumas pessoas se divertindo com bebidas e música profana. Ao chegar à vigília cristã viu a diferença entre os dois grupos. Falou sobre alguns eventos preparados para os jovens nos próximos meses e passou a palavra para o outro pastor, que já tinha chegado, pois já eram 9h da noite. O segundo (pastor Wagner) falou sobre a importância da identidade que nós e os diversos grupos têm. Ninguém confunde punks ou emos ou rockeiros. Todos têm uma identidade própria. Entretanto, nem todos os cristãos podem ser identificados à primeira vista, ou mesmo depois de convivermos com eles. E, como se dirigia a jovens principalmente, falou sobre palavras usadas nas conversações, sobre vestuário, até mesmo penteados, sobre relacionamentos amorosos dos cristãos e sobre alimentação. Lembrei do estudo da lição da carta do Apóstolo Paulo aos Romanos: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa fé.”


A descida foi cansativa mas tranquila e às 10h30 da noite estávamos de volta em casa.Ah, o maestro se ofereceu para levar o teclado e um dos desbravadores levou o pedestal. Gravei as fotos no computador e estou agora transmitindo as novidades para vocês. Agradeço a todos pelo incentivo que me fez persistir em participar do evento.


Tenham uma ótima semana.








5 comentários:

  1. Que legal! Deve ter sido inesquecível!
    Nosso sábado também foi bom, à noite tivemos uma confraternização na sala dos jovens, resultado de uma atividade semelhante ao está escrito jovem que organizamos durante um mês nos cultos jovens, estava muito bom mesmo!
    Que nossa semana continue abençoada! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Olá Celina!
    Que bom que fostes. E olha que gostoso que estava não é mesmo?
    Até que voltaram cedo, podiam ter ficado madrugada a dentro...rsrs.
    Eu não cheguei a ir, pois meu pai não deixava, mas meu irmão quando ia com os jovens da igreja orar num monte, eles ficavam a noite toda em louvor e oração.
    Voltavam tão renovados e tão felizes...eu queria ir, mas tinha que obedecer o meu pai, pos ele se preocupava comigo.
    Depois, quando eu era mais velha e independente, fazíamos vigília de oração constantemente, passávamos a noite em oração e louvor, mas fazíamos na minha casa, ou na casa de algum irmão. Eram maravilhosos aqueles encontros. Sinto saudades, pois faz tempo que não participo de uma vigília assim.
    Beijos linda e boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Olá Celina!!!
    Shalom!!!!

    Quero primeiro agradecer sua visita em nosso blog. Ameiiiii

    Sobre o texto, o culto, que lindo!! Fiquei com muita vontade de estar lá também adorando nosso Senhor Jesus.

    Que lindo!!!!!!



    Deus abençoe,
    beijos
    suely

    ResponderExcluir
  4. Celiina, que bom que você foi na vigília. Fiquei feliz!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. eu fui no na vigilia lá no morro do lobo!!
    adorei... o pastor vagner falando p/ os joves.
    quando disse que nos estamos usanado droga lembra...??? LSD todos ficaram assustados!!! dai ele disse que LSD que ele se referia siguinifica: Liberdade Sem Deus! aprendi muito com ele.

    parabens irmã Celina seu blog está maravilhoso.bjos
    Elza Isadgama central DF

    ResponderExcluir