domingo, 17 de outubro de 2010

Cristãos pós-modernos?

Após as ameníssimas postagens comemorativas do Dia da Criança e do Dia do Professor, achei interessante compartilhar este pronunciamento do pastor de minha igreja,  sobre tendências pós-modernas que enfraquecem a igreja.

"São várias as maneiras de compreender as mudanças que estão acontecendo na vida de pessoas religiosas influenciadas pelas tendências do pós-modernismo. Podemos identificá-las através de uma análise histórica, teológica, sociológica... Mas uma coisa é certa: o ambiente cultural que estamos vivendo parece se chocar frontalmente com muitos pressupostos do estilo de vida cristão. Aceitamos a maneira como deveríamos agir quando declaramos a nossa profissão de fé. Assumimos o compromisso com as verdades bíblicas. Mas o mundo atual sugere de várias maneiras que não deveríamos fazer compromissos com os absolutos porque tudo é relativo: além disso, quando entramos na Igreja assumimos responsabilidades com a comunidade por meio de relacionamentos saudáveis. Porém, a vida religiosa parece ser indiferente com a vida comunitária face ao individualismo exacerbado que em tudo penetra fazendo-nos cristãos cada vez mais isolados da comunhão cristã. No campo da solidariedade humana, a vocação pelos pobres, órfãos, viúvas, doentes a cada dia é deixada em segundo plano. Isto porque o mundo incentiva o bem-estar pessoal e o prazer pelo consumismo, o que enfraquece os laços do amor e da mão estendida; outra dificuldade encontrada no estilo de vida da Igreja é de formar pessoas para a submissão de uma vida espiritual intensa deixando de lado os prazeres pecaminosos. O que se percebe é a influência de uma sociedade voltada para a satisfação imediata e do conceito de liberdade relativa do indivíduo no terreno dos afetos e dos sentimentos; ao crente é ensinado que Deus é soberano, absoluto em tudo e todos. No entanto, a teoria reducionista do pós-modernismo incentiva as pessoas a procurar  o Criador apenas como "meio" para resolver problemas terrenos e imediatos, como fator de prosperidade ou ajuda. As tendências pós-modernas são nocivas ao crescimento saudável da Igreja e todos estão sendo afetados. Há um caminho que precisa ser agora percorrido com o propósito de alcançar o sonho do povo da esperança: ser uma igreja espiritual, vibrante, unida, solidária, amorosa, missionária. Só assim conseguiremos quebras as maldições que perturbam a nossa paz e alegria de sermos chamados de filhos de Deus. Vamos crescer juntos neste propósito. O Espírito Santo está conosco momento a momento até o fim de todas as coisas."
(Publicado pelo pastor Enio Rocha, distrital da IASD - Gama, no Boletim nº 30 de 2010)


Após esta leitura, convido a pensarmos em ações que nos levariam a crescermos saudavelmente, lembrando as palavras do Senhor:
"Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado (...)" Lembrando ainda que o Reino da glória de Deus está preparado desde a fundação do mundo, pela fidelidade de Deus, que não foi alterada a forma de julgamento que Cristo apontou no final desse texto de  Mateus 25:34-40,  nem sofreu variação  o fato de que o Reino da glória é futuro - para nós, e continuamos precisando exercer a fidelidade, o amor, a esperança e a fé para atingi-lo.

E respondam: há mesmo cristãos pós-modernos, ou  somente cristãos?

Tenham uma ótima semana.

4 comentários:

  1. Celina, obg pelo recadinho deixado na minha postagem lá no recanto das mamães blogueiras.
    Um super bj,
    Genis.

    http://www.mamaegenis.blogspot.com/
    http://www.blogdagenis.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi querida Celina!
    Muito bom esse texto, pois estamos cada vez mais distantes de vivermos como o início da igreja. Onde todos repartiam o que tinham, suprindo as necessidades uns dos outros, amando as vidas, enviando missionários e os apoiando.
    Eu mesmo me pego muitas vezes pensando sobre isso, sobre como o amor entre os irmãos tem se esfriado e consequentemente o amor e a paixão pelas almas que estão se perdendo.
    Tenho pedido ao Senhor que me encha do Seu amor, do Seu espírito, para que eu possa fazer a diferença, O servindo como Ele deseja e não me emaranhando tanto com as coisas desse mundo, que nos levam a esfriar na comunhão com Deus e com o próximo.
    Querida, uma abençoada semana e que possamos estar deixar o Senhor trabalhar em nossas vidas, para sermos cada vez mais semelhantes a Jesus.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Celina, quando puderes, faça uma visita no blog de uma irmã. O endereço é: http://valbarcelos.blogspot.com
    Sei que ela vai ficar bem feliz.
    Mais beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Celina!

    Esse texto nos faz pensar, até que ponto estamos deixando o mundo entrar em nossas igrejas, até mesmo nos irmãos de fé vemos coisas que certamente não agradariam a Deus, palavras que não condizem com uma conduta cristã...mas devemos olhar para o alto, para o céu... não podemos perder nosso guia de vista!
    Um beijo e feliz sábado!

    ResponderExcluir