quinta-feira, 25 de julho de 2013

O que temos para dar

Há quase dois mil anos na Palestina, era uma tarde de um dia ensolarado, mas o sol, dentro de poucas horas, iria desaparecer por trás das montanhas e estava na hora de voltar para casa.
Passara-se bastante tempo desde a manhã, quando aquela multidão se assentara para ouvir o que o Rabi Jesus tinha para dizer. Eles não sentiram passar o tempo, porque a mensagem era exatamente o que cada um deles precisava ouvir, mas agora dentro de poucas horas precisavam caminhar para casa. O Rabi sabia disso, porque Ele sempre sabe de nossas necessidades. Os seguidores mais próximos do Mestre lembraram: a multidão está com fome, convém que vão embora para se alimentarem.
Jesus sugeriu: dai-lhes vós de comer, e eles se entreolharam. O que significaria isso? 
O pequeno menino não vacilou: percebendo o motivo da agitação dos discípulos, ofereceu o que tinha: cinco pães e dois peixinhos. O Rabi multiplicou-os;
Quais são nossos cinco pães e dois peixinhos? Com certeza recebemos muito de nosso Senhor e Mestre. 
Voltando para os meninos que trabalham numa vila aqui em nossa região, estavam numa casa e leram o nome do estudo que deviam dar: Esperança. A dona da casa tinha uma definição pequena para a palavra: tinha a esperança de ganhar na loteria e melhorar sua vida material, de padrões muito modestos. Os meninos tinham um conceito maior de Esperança e o repartiram naquele lar e em outros lares. 
O que recebemos do Senhor e alimenta nosso espírito podemos repartir. Uma palavra, um sorriso, uma mensagem, uma canção,  vamos deixar que o nosso Mestre multiplique o que nos deu.

2 comentários:

  1. Oi amada como filhos do DEUS vivo e os recursos que recebemos dele que agora nunca poderemos dizer nao tenho NADA, sempre termos algo para abençoar uma vida. abraçoooooooooooo

    ResponderExcluir
  2. Olá Celina

    Mensagem muito abençoada. O Senhor sempre nos concede coisas boas e precisamos repartir. Bjs querida.

    ResponderExcluir