sexta-feira, 6 de junho de 2014

Cicatrizes

Tenho um vizinho de andar que, há uns oito meses, foi submetido a uma cirurgia. Observando que estava em recuperação, perguntei sobre seu estado de saúde e soube que doara um rim para a própria irmã. 
Agora ele e a irmã estão recuperados e minha vizinha, esposa do doador, contou-me que no ano passado tiveram um dos melhores natais em família, com a irmã, que estivera doente e o irmão, meu vizinho, ambos alegres pela bênção da saúde e pelo prazer de doar.
Hoje pela manhã li história semelhante narrada no livro de reflexões para mulheres por Jussara Alves, que é brasileira, do estado da Bahia. Ela falou sobre cicatrizes:
"Cicatrizes são marcas que duram a vida toda. Tenho muitas delas marcando o corpo - cortes, arranhões, cirurgias, mordidas de cachorro e muitas outras.
(...)
Em 2009, passei por um transplante de rim. Não é coisa simples receber um órgão. O doador, além de ser especial, deve ser compatível com o tipo sanguíneo e ter outras características em comum. E deve estar disposto a doar um dos rins!
Minha irmã, num ato de bravura e coragem, realizou esse sacrifício de boa vontade. E, graças ao grandioso amor de Cristo, a cirurgia foi um sucesso. Hoje, tanto minha irmã quanto eu carregamos cicatrizes no corpo. A minha me faz lembrar de que, mediante o gesto de alguém que me ama, fui libertada de passar o resto da vida na máquina de hemodiálise. A cicatriz de minha irmã me faz pensar em seu gesto de doação e entrega.
Cristo, doador da vida e liberdade, ofereceu-Se de modo incomparavelmente maior. Ele não Se deu parcialmente, mas por completo, sem reservas, mostrando amor incondicional."
O texto para reflexão, de João 20:27, aplica-se à história que ouvi de meus vizinhos e a história lida hoje, narrada pela brasileira Jussara Alves, que o citou:
"Coloque o seu dedo aqui; veja as Minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no Meu lado." João 20:27


2 comentários:

  1. Olá Celina
    Que linda atitude da sua irmã e do seu vizinho. O nosso Jesus deu sua vida por nós e hoje somos livres. Bjs amada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na realidade, o fato da doação de meu vizinho me foi relatado pelo casal,que mora no mesmo andar que eu.Quanto à segunda história, estou compartilhando a reflexão que li no livro de reflexões para mulheres "Amor incomum - Meditação da Mulher", escrita por uma senhora cristã que vive na Bahia, Jussara Alves. Não sei se é exatamente isso que você percebeu. Abraço.

      Excluir