terça-feira, 26 de maio de 2015

Reencontro

Foi com surpresa que vi hoje numa rede social o manifesto de uma mãe, que a propósito conheço, sobre a saudade que sente de seu próprio filho mais velho, que vive com os avós numa região próxima, onde estuda.
Na realidade, não sei exatamente por que não o visita ou por que ele não pode visitá-la, mas, como costuma acontecer nessa situação, algumas pessoas postaram comentários mencionando que estão separados por uma pequena distância e que, aparentemente, não há barreiras para que se reencontrem a não ser as que ela própria se impõe.
Mais tarde, o avô compartilhou a mesma postagem com seu próprio comentário: "Queremos que mãe e filho se reencontrem". E a avó comentou que gostaria que a filha os visitasse e então o que estava perdido seria achado. Outros amigos virtuais curtiram todas essas manifestações. Espero que o reencontro aconteça em breve.
Há muita separação e desencontro neste mundo. Creio, entretanto, que o que está separado pode ser unido pelo Pai Celestial, que busca Seus filhos, com o mesmo cuidado que faz o pastor buscar a ovelha perdida.
Aquele que estiver unido ao Pai estará também unido com seus irmãos, a começar por aqueles de sua própria família. 
Neste mês da família, desejo que nossas famílias tenham muita união, harmonia e paz.

Um comentário:

  1. Oi Celina, amiga querida!
    Muitas vezes pra um reencontro basta um pouquinho só de boa vontade.
    Temos que romper barreiras muitas vezes, deixando coisinhas de lado, ou mesmo coisas maiores, pois a vida é curta e precisamos aproveitá-las ao máximo ao lado dos nossos queridos.
    Gostei da sua postagem... muito mesmo.
    Um beijo bem carinhoso.

    ResponderExcluir