Histórias em 77 palavras 2

A banqueta

Eu acompanhava um órgão e devia servir para que minha dona se assentasse e tocasse harmonias. As partituras ficavam guardadas dentro de mim.
Quando mudamos para uma casa menor, ela precisou contentar-se com o teclado portátil e doou meu velho companheiro. Tornei-me suporte para a televisão; assisti a programas de variados estilos.

Finalmente aqui estou como floreira. Vejo o cuidado para que luz, ar e água sejam convenientes sobre as plantas que apoio. 

Numa delas nascem violetas brancas.

Celina Silva Pereira, 66 anos, Brasília, Brasil.

Desafio Escritiva nº 19 ― vidas passadas de objetos





Quero ir ao baile

- Fada madrinha amada , quero ir ao baile do príncipe. Cansei dessa vida de limpeza pesada todos os dias servindo à madrasta e tolerando minhas irmãs.
- Vou providenciar; consultei meus livros e aqui tem carruagem elegante, cocheiro uniformizado, lindos cavalos.
- Preciso também de um vestido.
- Aqui está: um vestido azul, bordado, rodado, de corte perfeito. Com sapatos de cristal.
- Só assim?
- Vamos dar um toque final: dando graça ao cinto, um crisântemo preso por um discreto alfinete azul-marinho.

Desafio nº 119 - Crisântemo e Alfinete.


Este é minha resposta ao desafio da escritora Margarida, do Blog das 77 palavras . Foi lido na RádioSim em 04.07.2017.


Último domingo


- Por que levantaste tão cedo hoje? – pergunta sonolento vovô para vovó.
Ela responde rápido lá da sala: - Estou ocupada aqui, já volto para o quarto.
Mais tarde, vovô encontra algumas violetas com flores em cima do armário e fica curioso sobre o que acontecera para elas deixarem a floreira.
Antes de perguntar alguma coisa, olha distraidamente o calendário. Era o último domingo do mês.
Vovó avisa: - Operação jardins suspensos! Os netinhos vêm aqui já, já!



Resposta ao Desafio 120 - Operação



Um comentário: