Uma imagem, um conto - agosto

 


Esta história foi inspirada pelo post da Norma em Pensando em Família. A pintura acima, compartilhada pela Norma, foi feita com os pés, pelo pintor Manuel Pareño.

Logo após casarem e irem morar naquela casa da Cidade Baixa, repararam numa parte do quintal junto à porta da cozinha. Pensaram em cimentar aquela área e ali jantarem ou almoçarem algumas vezes. Depois plantaram uma parreira, que cresceu e alguns anos depois, quando já tinham crianças, o sonho se realizou:  usufruíam agora da sombra da parreira, que amenizava o calor do sol nos verões.

Um dia, compraram outra casa - no mesmo bairro e também com quintal. Este já era calçado com mosaico preto e branco. Um butiá fazia sombra numa porção desse pátio. O pai comprou uma muda de parreira e plantou numa outra área.

Pôde ainda colher as uvas e saboreá-las com os netos. 

Bem mais tarde, a parreira ainda é cuidada por uma das filhas e as uvas repartidas com as visitas e transformadas em delicioso suco.



2 comentários:

  1. Muita criatividade no seu conto, gostei muito da inspiração. A pintura é bem graciosa, mais uma que a Norma nos apresenta trazendo belas ideias.
    Bom fim de semana. Vamos adiante... Bjs

    ResponderExcluir
  2. Que lindo,Celina e as parreiras resistem por muitos e muitos anos e oferecem frutos às famílias. Lindo fim de semana! beijos, chica

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem-vindo.