quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Julia volta à escola 2

 


A  semana tem sido de encantamento. A menina reescobre a escola e o prazer de estudar.

Com a vacinação,  muitos estudantes retornam às aulas- também na minha escola - e procuram recuperar o tempo perdido.

Vejam algumas fotos da nossa Julinha








E também tivemos, nesta semana, o aniversário do vovô Cláudio, com almoço na casa de Júlia e Davi.




domingo, 10 de outubro de 2021

Júlia volta à escola


Julinha esteve em aulas até o final de março de 2020 em Goiás. Depois, passou a ter aulas pela internet, através de um aplicativo. Foi difícil passar a resolver as atividades sem ver a professora e parecia a ela que nem havia aula. Passou o ano brincando numa chácara na qual foram morar. 

Neste ano, já no quarto ano, havia mais atividades, e exigência do estudo da tabuada.  Terminou esquecendo as operações que tinha aprendido e não aprendeu as novas - multiplicação e divisão. Havia alguns conflitos em casa no momento de resolver as folhas de atividades que eram impressas e deviam ser respondidas e encaminhadas. Neste ano estava morando num bairro afastado, com pouco transporte coletivo.

Agora, Júlia mudou-se para Brasília com a família. Vai ficar mais longe da vovó de Goiás e mais perto da vovó daqui. Uma surpresa: há uma escola quase em frente de sua casa nova. A mãe está providenciando a transferência e haverá aulas presenciais em semanas alternadas. Júlia vai voltar à escola. Vai aprender coisas novas. Ficou feliz e, ainda mais, que pôde comemorar o aniversário do pai dela - que está trabalhando no DF -  junto com a família toda e gostou do apartamento que a mãe já tinha organizado. 

Bom estudar, bom ter professores, lembrando do Dia do Professor nesta semana. 

Muito bom ter uma família e poder confraternizar com todos.

Boa semana com feriados a todos os leitores!









domingo, 3 de outubro de 2021

Trimestre do Natal - outubro


 Passam os meses e, assim, chegamos ao trimestre do Natal. Esta árvore de flores roxas - o jacarandá -  aparece agora em Brasília, assim como os flamboyants, de flores alaranjadas ou vermelhas.

Logo vai iniciar-se o último bimestre nas escolas e os estudantes apressam-se para realizar as últimas atividades escolares do ano,  já antecipando férias. Outros procuram recuperar o tempo perdido, ainda mais que uma parte do ano escolar transcorreu no ensino à distância, com acesso dificultado para alguns pela ausência de conexão. 

Este mês tem como datas comemorativas o Dia da Criança e o Dia do Professor, com um pequeno recesso. 

Outubro traz para mim o aniversário de meu filho mais velho, do meu marido e do meu casamento. São datas alegres que, com a permissão de Deus, trarão encontros de família. Enfatizando, quanto à última data, que são 50 anos desde a data em que casamos, muito jovens ainda, em Porto Alegre. O tempo decorrido lembra momentos felizes e lutas superadas, motivo de agradecimento.

Já se avizinham os momentos da comemoração do Natal, e alguns corais marcam ensaios para as apresentações de dezembro, como ouvi ontem. Para mim, este é o trimestre mais alegre do ano, pela data comemorativa do Nascimento de Jesus, com as casas e a cidade se enfeitando, cantando e proclamando o grande presente de Deus. Que sejamos abençoados neste tempo natalino que se avizinha.








quinta-feira, 30 de setembro de 2021

Histórias do viver

 

O blog Pensando em família, através de sua autora Norma, apresenta a proposta de um texto sobre histórias que marcaram nossa vida, inspiradas pela imagem sugestiva.

Na imagem, fixei meus olhos na árvore, à esquerda. Ela me levou ao dia em que fui visitar pela primeira vez uma fatia de terra que foi sede de muitos momentos especiais numa época de minha vida. 

Soube que estava à venda um sítio. Já estava fascinada pela vida rural e tinha duas pequenas chácaras onde passávamos os fim de semana, com nossas crianças.  Mas eu queria uma porção maior de campo e assim fui visitar aquele lugar com meu marido. Não fiquei impressionada com a dificuldade de acesso. Era necessário passar por um pequeno riacho para entrar no terreno. Achei mesmo encantador ter um sitio cercado por dois riachos e com um ribeirão maior numa outra parte. Lembro ainda do nome dos cursos d'água - os riachos Bananas e  Curralinho, que desaguavam no ribeirão dos Bois.

Enquanto meus filhos cresciam, passávamos ali os fins de semana. Víamos uma porção nova da vida, que não conhecíamos antes - um lugar cercado de montanhas, de água corrente, com algumas cabeças de gado, muitas galinhas, que ficaram tão alegres quando chegaram da chácara e tomaram conta do novo galinheiro, grande e ainda cheio de grama natural, que elas exploraram por algum tempo! As ninhadas de pintainhos se sucediam e passeavam por ali, levadas pelas mamães. Era gostoso molhar os pés no riacho. Houve um bezerro que precisou tomar mamadeira, que algumas vezes as crianças lhe ofereciam. 


Foram anos de fins de semana num lugar diferente para nós, com experiências novas e que deixaram boas recordações. 

Depois as crianças cresceram e ficou mais difícil ir para lá. Decidimos prolongar a experiência, morando alguns anos numa chácara próxima à cidade, mas terminamos relegando o campo para algumas viagens de fim de semana ou para as férias. 

Essas recordações ficaram, no entanto, de um período bom, com momentos agradáveis junto à família, reunida num cantinho verde e encantador para nós.

terça-feira, 21 de setembro de 2021

As cores da primavera


Iniciando hoje a Primavera, e esta árvore alegrou minha caminhada na hora do almoço. Tem um colorido muito delicado entremeado com o verde da árvore, que é bastante alta e frondosa. 
A natureza nos brinda com muita beleza neste período do ano, quando numerosas flores enfeitam os jardins das casas e dos condomínios, das ruas e dos parques.

Que a beleza das boas emoções esteja em nós nesta estação, que  a paz, o amor e a bondade estejam nos canteiros de nossos lares. 

Que nossa fé e esperança estejam bem firmadas em Deus como as raízes firmam a árvore no solo. 

Que venham chuvas para fazer reviver as florestas e que chuvas de bençãos nos acompanhem. 



 


quinta-feira, 9 de setembro de 2021

O cerrado

 


A paisagem natural aqui em Brasília é composta pelo bioma cerrado.

Do outro lado da via que dá acesso à minha casa há uma floresta onde a maior parte da vegetação é de cerrado, embora haja outros vegetais trazidos de fora num determinado trecho. No próximo sábado, 11 de setembro, comemora-se o Dia do Cerrado.

Infelizmente ouvi agora a notícia de que há dois focos de incêndio nessa floresta vizinha - a Floresta Nacional de Brasília. A época é de seca no nosso "quadradinho", apelido carinhoso para o Distrito Federal. Em cem dias, houve apenas uma pequena chuva. A umidade relativa do ar está próxima a 10 por cento e fico feliz em estar trabalhando em casa ainda nesta semana.

Nas minhas visitas a essa Floresta, que também é um parque ecológico, fotografei alguns detalhes do cerrado, flores e plantas. São diferentes das plantas de outras regiões que normalmente vemos nos jardins, mas são lindas.

Sinto que muitas estejam agora consumidas pelo fogo. Mas sei que renascerão porque tenho passado em muitas áreas de cerrado onde as plantas nascem logo após as queimadas, ficam verdes e florescem em seguida. Essa resiliência é uma lição da natureza para nossa vida, a propósito.

Outra lição é a de que as plantas são efêmeras, como diz a Bíblia - "Seca-se a erva (...)" Mas sabemos que diz em seguida "mas a minha Palavra permanece para sempre". Outra lição: Deus é fiel e podemos confiar no Senhor - e na sua Palavra.







Lembrando agora dos jardins de Brasília e das árvores floridas nos canteiros na cidade neste mês,  tive ontem o prazer de fotografar uma das plantas mais efêmeras daqui - o ipê branco. Conforme disse o jornal do almoço, a florada dura apenas cinco dias. No ano passado, seja por isso, ou porque não floresceram nas ruas em que passei, não consegui fotografá-lo, mas, neste ano, tive um grande presente em ver tantos juntos, e já formando um tapete branco no chão. 

Assim vai passando setembro e passando as estações, todas governadas pelo Criador. Vejamos algumas fotos, ao tempo em que desejo boa semana a todos.







quarta-feira, 1 de setembro de 2021

A nova estação


 Início de setembro hoje.

Já comemoramos a nova estação - a das flores.

Brasília tem tudo para nos fazer lembrar da primavera. São canteiros e canteiros nas avenidas, nas quadras, nos condomínios, nos parques, nos prédios que sediam o governo do país.

Brasília é florida. São as flores nascidas do cerrado, são outras vindas de fora para enfeitar a cidade. 

Agora as flores dos ipês nos trazem a alegria do amarelo, que lembra uma das cores da nossa bandeira, símbolo do Brasil, que comemora seu dia neste mês, no dia 7.

Na família é o aniversário de meu irmão, que  cultiva um belo jardim, num outro estado do país. 

Aqui em casa temos aniversário de namoro, que precede o de casamento no próximo mês.

Que o mês traga novas alegrias para todos e boas notícias para o mundo.