sábado, 14 de maio de 2022

Um buquê com amor

 


Alice olhou para o calendário e viu a data - 5 de maio. Voltou da escola lembrando-se disso - tinha pouco tempo para preparar alguma homenagem para sua mãe.

À tarde convidou seu irmão e foram ao shopping. Passaram por todas as lojas, mas não acharam nada de interessante que pudessem comprar. Tudo muito caro - roupas, joias, pequenos enfeites para casa, roupa de mesa. 

Estavam voltando desanimados quando Alice teve uma ideia e mudou seu trajeto: foram a uma tenda que vendia flores perto de casa.

A mãe ficou feliz em receber dois lindos ramalhetes.

Esta minha história para Uma imagem um conto, blogagem coletiva proposta pela Norma Emiliano no blog Pensando em família.


Após esta história, lembro das duas datas de maio que festejam a alegria da família - a primeira é o Dia das Mães, que homenageia a rainha e a segunda é o Dia da Família - internacional - que celebra o próprio reino familiar, que deve ou deveria ser o reino do amor.

Felizes os que podem estar felizes a retornar de casa para o trabalho e encontrarem a recepção de seus queridos. Meu marido me busca todos os dias no serviço e fico muito alegre quando ele chega, porque já estou voltando para casa em família. Os alunos e servidores da escola já o conhecem e avisam da sua chegada.

Diz a Bíblia que não é bom que o homem esteja só, isto é, sempre é melhor viver na companhia de uma família, constituída por pai e mãe ou com filhos, netos, ou apenas um homem ou mulher chefe de família com os filhos. 

É bom ter amor e carinho no aconchego do lar. Os momentos em família formam o conjunto de memórias de cada um e vão-se transformar numa base forte, quando essas memórias são positivas e alegres.

Façamos nossa parte para viver num lar em que a mãe e o pai - ou o que chefia a família individualmente -  são valorizados e valorizam seus filhos. Feliz o lar onde o amor que vem de Deus reina e protege a todos.

Imagens desta semana:





domingo, 1 de maio de 2022

Maio

 


Este primeiro dia, lembra a função de cada cidadão.  Conheço em minha família trabalhadores artesãos, funcionários, profissionais da educação e da saúde, profissionais liberais e muitos estudantes. Cada um na sua função, reúnem-se para formar a força produtiva do país.

Devem ser considerados e respeitados. Precisamos de todos. Unidos somos fortes  para compartilhar e receber o que é oferecido por cada braço.

Maio traz ainda, como o mês de março,  uma data que valoriza as mulheres - agora, o Dia das Mães. Começamos a vida dando a condição de mãe a uma mulher, na etapa seguinte a homenageamos e, mais tarde, somos homenageadas e também podemos homenagear nossas filhas neste dia. Data bonita, seguida, em maio, pelo dia que valoriza as famílias. Segundo a Bíblia, não é bom estar só. São as famílias que fortificam o indivíduo. É com elas que  repartimos e recebemos carinho e amor ao máximo.

Mulheres e mães merecem afeto e respeito. Compartilhemos com os jovens essa afirmação tão verdadeira. 

 

quinta-feira, 21 de abril de 2022

Brasília de aniversário

 


Gosto de morar em Brasília. Suas diferentes paisagens me encantam.

Temos floresta e jardins arborizados, ipês e flamboyants, Esplanada e superquadras e também muitas cidades todas dentro de Brasília.

Temos o lago e as pontes, inclusive a mais famosa - dos arcos.

O pôr-do-sol e o nascer do sol colorem o céu em lindos matizes.

Pois esta Brasília hoje completa 62 anos. Estou aqui há quase 50. Aqui estão filhos e netos. 

Amo Brasília! Parabéns à Capital!











domingo, 17 de abril de 2022

segunda-feira, 4 de abril de 2022

Mês da Páscoa - abril

 


Porque este é o mês em que se comemora a Páscoa, abril lembra renascimento, renovação, esperança. 

A imagem do cordeiro - e não do coelho -  visa a mostrar que a Páscoa lembra o Cordeiro de Deus, que ressuscitou após ser crucificado, e vive hoje nos representando,  como intercessor.

Então, porque Ele vive, o mês lembra também as promessas e a esperança que Ele nos dá.

O mês é também da conscientização sobre o TEA - Transtorno do Espectro Autista, nos recordando da aceitação e amor pelo outro que devemos manter, tratando a todos com igualdade. 

No Brasil, lembra Tiradentes, herói pátrio que lutou e morreu pelo sonho da independência. Viveu em Vila Rica, atual Ouro Preto, cidade conservada como uma memória histórica da época do Brasil colonial.

E continua o outono aqui e a primavera lá na Europa, com muitas flores.








 

sexta-feira, 18 de março de 2022

Outono


 No dia 20, inicia-se aqui o outono e no hemisfério norte a primavera. Houve muita chuva nos últimos meses do verão e ela continua. Mais uma vez os reservatórios de água da nossa cidade estão cheios.
 

Também há muitas flores e os gramados e parques estão verdes, como o da Floresta Nacional, onde estive passeando outro dia. Por um tempo ainda, teremos chuva e verde aqui na cidade, mas é nesta estação que se iniciam os meses de seca na região centro-oeste do país, onde fica Brasília.

Aqui não podemos observar aqueles tons maravilhosos de outono, que são próprios de regiões mais ao sul (ou ao norte, no outro hemisfério). Amo quando os amigos que moram nesses lugares postam fotos daquelas paisagens. Tenhamos todos uma linda estação. As fotos adiante são de meu mais recente passeio ao parque Flona, quando conheci um jardim cultivado por um dos funcionários próximo ao espaço para apoio.








Veja também:

Uma imagem - um conto - março 


terça-feira, 8 de março de 2022

Seja honrada

Diz o livro de Provérbios que a mulher virtuosa é aclamada pelos filhos e pelo marido, que a chamam abençoada. 

Lembro das mulheres que povoaram minha infância. Minha mãe contava inesquecíveis histórias quando estava conosco durante as refeições e nos cultos familiares. Minha avó me ensinou noções de jardinagem e de culinária - o pouco que conheço hoje. Lembro de fazer mudas das margaridas e copos-de-leite no final da estação das flores e de plantar os bulbos dos gladíolos. Também organizávamos novos canteiros delimitados por tijolos. Esse jardim cresceu tanto na minha imaginação que fiquei surpresa quando entrei novamente na casa, muitos anos depois e vi as dimensões do lugar em metros. 

Tinha também uma tia-avó, cunhada dessa minha avó. Cultivava igualmente um jardim em casa. Amava muito quando tia Hermínia ia visitar-nos. Uma vez choveu no meu aniversário e minha mãe insistiu bastante para que meu pai fosse buscá-la de carro, para que eu ficasse alegre com isso.
Assim como eu, todas e todos os leitores devem também lembrar-se das mulheres que conheceram quando eram crianças e das maravilhas que comunicavam, contavam, preparavam.
Fico pensando em como as mulheres devem e deveriam ser honradas, elogiadas por tudo isso. Vamos transmitir essas experiências de cuidado, admoestação, ensino, amor da nossa infância. Que nossos filhos as ensinem aos netos e que assim cada vez mais seja dada afeição e honra às heroínas de nossas vidas.

Leia também: