sábado, 5 de março de 2016

Duas mulheres refugiadas

Ela preparava alegremente o almoço na sua casa. Quando o esposo chegou, avisou a ele: - Precisamos buscar mais mantimentos na fazenda. Estão terminando na dispensa.
A resposta que ouviu criou a consciência de um tempo de dificuldades na vida do casal. Havia uma seca na terra e os mantimentos tinham acabado no campo. A colheita fora muito pequena. 
Dentro de pouco tempo partiam para um país próximo quatro refugiados - o casal e dois filhos. Ali aonde se dirigiam havia fartura.
Inicialmente, houve um tempo feliz no país que os acolheu. Os dois filhos casaram com lindas moças e tudo parecia ir bem. Infelizmente, o esposo de nossa personagem morreu e, logo em seguida, os dois filhos também morreram. Ficaram a sogra e duas noras sozinhas.
Aquela refugiada resolveu voltar para sua terra, para perto da sua parentela.
Deveria partir só, porque as noras ficariam. Ficariam? Uma ficou. Despediu-se e foi para sua família. A outra recusou-se a separar-se da sogra. Viajaram juntas para a terra de origem. Agora a nora era refugiada na terra de sua sogra.
Lá, a mais jovem começou a trabalhar colhendo espigas num campo que estava sendo colhido, como era costume na terra. Logo descobriu que o campo era de um parente, que, a propósito, foi muito gentil com ela.
Começa um romance? Sim, essa mulher diligente, amorosa, corajosa em seguida casou com o dono da fazenda, que comprou a fazenda abandonada da sogra da futura esposa, também conforme o costume, para que a herança ficasse na família.
Tiveram um filho, que foi criado junto com a avó, muito feliz com isso. Esse menino foi avô de um rei, mas aí começa outra história. Leia tudo isso no livro de Rute, na Bíblia.

E esta é minha homenagem a todas as mulheres, grandes batalhadoras, pela passagem nesta próxima semana do Dia da Mulher.
A propósito, ganhei de presente hoje  este sachet, como lembrança da programação da igreja pela data.



7 comentários:

  1. Oi Celina! Que legal,sempre achei a Rute da Bíblia uma mulher forte e sábia.Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom texto que mostra a coragem de mulheres que seguem com coragem sua vida. bjs.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Celina,
    Uma historia linda, do Livro de Rute, que tenho que aprofundar.
    Um testemunho de quanto a Mulher corajosa pode alcançar com a sua vontade e determinação.
    Homenageou de forma muito elevada as mulheres pelo seu Dia.
    Sachê lindo e decerto muito perfumado.
    Muito obrigada.
    Beijinhos e um bom domingo.
    Ailime

    ResponderExcluir
  4. AMADA CELINA, AMEI ESTA HISTÓRIA.ABRAÇOS

    ResponderExcluir
  5. Linda história essa... eu também admiro essas servas de Deus!
    Que legal seu presente amiga.
    Beijos e parabéns pelo nosso dia...rsrs.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada, Celina, pela bela homenagem que nos faz através do exemplo de Rute.

    Abraço!

    Renata

    ResponderExcluir
  7. Olá Celina
    A história de Rute é linda. Parabéns pelo nosso dia. És uma mulher virtuosa. Bjs querida.

    ResponderExcluir